OLVE - Organização Londrinense de Voluntários da Educação

Oficina de Artesanato


O projeto da Oficina de artesanato Arte & Vida tem como objetivo, confeccionar artesanato para ser vendido e os recursos da venda dos produtos são repassados a ONG OLVE para ajudar na manutenção dos projetos desenvolvidos por ela. Os artesanatos são confeccionados por voluntárias que se reúnem toda quarta-feira das 14h00min às 17h00min horas nas dependências do Centro Espírita Meimei, onde fazem bordados, crochês, tricôs e pet work.

Escola de Costura Olinda Carneiro


Histórico

Como organização, conseguimos o título de utilidade pública que possibilita registros em outros órgãos do município e estado, pleitear recursos necessários para darmos não só atendimento no âmbito psicológico e material, mas principalmente para que possamos capacitar as pessoas para o mercado de trabalho local, que tem dificuldades em preencher suas vagas de empregos pela falta de mão de obra qualificada.

Com o apoio da Federação Espírita do Paraná, doações de máquinas de costura e malhas, pela empresa Sonhar’t (Indústria de confecção com sede na cidade de Londrina) e Associação dos Aposentados do Banco do Brasil, iniciou-se curso de costura industrial,com a finalidade de inclusão das assistidas no mercado de trabalho. Principalmente pela empresa Sonhar’t, que através de parceria, recebe as alunas, dando oportunidade de contratação.

A aluna pertencente à escola trabalha basicamente com o segmentomais procurado na região o de vestuário.

No setor do vestuário, temos na região várias fábricas que necessitam de mão de obra qualificada, porém não disponibilizam tempo nem pessoal para estarem qualificando essas mulheres.

Porém, é entendido que a questão social é um fator determinante no que se refere a escolhas de profissões e atuações em diversos segmentos. Neste sentido a Escola de Costura vem preencher uma lacuna extremamente importante para o desenvolvimento sócio-profissional do município, voltada à população de baixa renda, oferecendo qualificação profissional.

Objetivos
  • Oferecer curso de costura, atendendo em média, 12 pessoas por curso, compreendendo atividades de corte e costura industrial.O curso terá duração em média de 120 horas;
  • Capacitar adultos e jovens objetivando melhorar suas condições de permanência, inserção e reinserção social;
  • Formação de mão-de-obra qualificada na área de vestuário;
  • Possibilitar a geração de renda;
  • Atender adultos e jovens em situação de risco social, atuando como agente educativo, criando situações concretas para que exerçam sua cidadania, atuando no sentido da inclusão social, profissional e da sustentabilidade;
  • Através do aprendizado profissional, proporcionar aos adultos, jovens e adolescentes, o desenvolvimento do coletivismo, da sociabilização, melhorando as relações humanas, a comunicação, o companheirismo e a solidariedade, fortalecendo a personalidade dentro do grupo, eliminando tendências negativas e individualistas e através das relações, aumentar o horizonte profissional, cultural e social.
Metodologia e Plano de Ação
  • Oficinas de corte e costura industrial;
  • Curso com 120 horas;
  • Orientações gerais ao aluno, tais como: compra e manutenção de materiais, comercialização e profissionalização;
  • Atividades da função;
  • Abordagem técnica no manuseio das máquinas e dos materiais e suas possibilidades. Levar o aprendiz a compreender as especificidade dos materiais e perceber as diferentes alternativas a partir do domínio técnico e manuseio criativo;
  • Abordagem didática, coletivismo, no fazer e no aprendizado sobre reutilização de materiais e redução de custos;
  • Higiene e postura;
  • Abordagem social na reflexão sobre sua função sócio-familiar,e da possibilidade de inserção social através do trabalho.
Desenvolvimento do Projeto
  • O projeto tem como sede as dependências da ONG OLVE, que foi reformada e adequada para a instalação da escola de costura. Nas instalações temos espaço para 12 máquinas industriais, a instalação elétrica foi refeita e modificada para trifásico. Temos cozinha, banheiro e bebedouro;
  • O curso é ministrado por voluntários com metas futuras para a contratação de professores. A coordenação é feita por trabalhadores vinculados a ONG e escolhidos através de votação entre os participantes;
  • O material bem como o maquinário necessário para realização do curso veio de doações ou recursos da ONG provindos de realização de eventos, bazar de artesanatos, etc;
  • A Ong fica responsável pela divulgação do curso nas empresas de londrina e região e pelas parcerias para inclusão dessas alunas no mercado de trabalho;
  • Transparência, responsabilidade e qualidade na administração da escola, conquistando credibilidade e confiança, junto aos empresários e outros interessados em colaborar com a manutenção e patrocínio do projeto;
  • Avaliação, quanto à qualidade do aprendizado dos alunos.
Programação

O curso de costura industrial será realizado em 120 horas, sendo 10 horas semanais (3 vezes na semana com duração de 3horas e 20min cada aula).

Avaliação do Projeto

Com o propósito de atender a todos os objetivos elencados no projeto, sua avaliação ocorrerá antes, durante e após seu período de execução.

As reuniões de avaliação, as mesmas acontecerão com coordenadores e alunos envolvidos, além dos profissionais responsáveis pelo desenvolvimento do projeto, abordando:

  • Relações interpessoais da aluna;
  • Relações familiares;
  • Avaliação do rendimento pessoal no aprendizado;
  • Avaliação do rendimento às aulas e frequência ao Projeto;
  • Avaliação dos objetivos propostos para o mês;
  • Avaliação de propostas de auto-sustentabilidade e continuidade do Projeto;

Grupo de Gestantes Meimei


Histórico

O Grupo de Gestantes Meimei surgiu da iniciativa de algumas mulheres que sentiram a necessidade de atendimento às gestantes carentes.

Tudo começou em fevereiro de 1998, quando exercendo atividades nas dependências do Centro Espírita Nosso Lar, foram procuradas por uma gestante que pedia ajuda. Esta gestante não tinha uma peça de enxoval e nem condições financeiras para sustentar o bebê. Estava disposta a dar a criança para adoção.

As trabalhadoras sensibilizadas com a situação da gestante resolveram ajudá-la. Providenciaram o enxoval do bebê, alimento e apoio psicológico, para que a grávida levasse até o fim a gestação. Recebeu incentivo e apoio para criar e educar seu filho. A partir deste fato, as mulheres uniram-se e fundaram o Grupo de Gestantes Meimei para atender mulheres grávidas carentes.

No dia 08 de abril de 1998 o grupo iniciou seus trabalhos com a primeira aula, dás 14h30 min às 16 h, no mine auditório do Centro Espírita Nosso Lar.

Atendendo em média 15 gestantes, com oito mulheres voluntárias pararealizar o curso e preparar o enxova

No mês de agosto do mesmo ano o Grupo transferiu suas atividadespara as dependências do Centro Espírita Meimei (Rua Iapó 130 – Vila Nova – Londrina PR) e após a criação da OLVE, para suas dependências.

O Grupo realiza dois cursos por ano, sempre às quartas feiras. Com 16 aulas, ministradas no período das 14h às 17h, Frequentando em média 30 gestantes por curso e 16 trabalhadoras voluntárias.

Objetivos
  • Proporcionar orientação e conhecimento sobre a saúde e higiene às gestantes carentes, e em situação de risco;
  • Orientaçãoao aleitamento materno, diminuindo, assim, o número de casos de doenças e desnutrição entre os recém nascidos;
  • Conscientização sobre a importância do pré-natal;
  • Orientação sobre nutrição e reaproveitamento de alimentos;
  • Orientar e acompanhar gestantes com diabetes, pressão alta e desnutrição;
  • Orientação sobre o Parto, preparando-a para o parto normal, com exercícios de fisioterapia;
  • Conscientização sobre as vacinas para o bebê;
  • Orientação sobre os cuidados com o recém-nascido;
  • Orientação sobre o planejamento familiar;
  • Orientação sobre DSTS (Doenças sexualmente transmissíveis)e AIDS;
  • Orientação sobre drogas;
  • Atendimento psicológico;
  • Doar enxoval.
Descrição do Trabalho

Divulgação da data de inscrição do curso nos postos de saúde da periferia da cidade, através dos agentes comunitários da prefeitura, assistentes sociais dos bairros, e por outras gestantes que já fizeram o curso.

São reservadas duas semanas para inscrições (sempre às quartas feiras à tarde), As gestantes devem comparecer pessoalmente, munidas do cartão de gestante fornecido pelo posto de saúde onde está realizando o pré-natal (a inscrição só é realizada mediante apresentação do cartão).

As gestantes passam por uma entrevista individual. As informações da entrevista são anotadas juntamente com as informações do cartão da gestante.

Na entrevista são esclarecidas as dúvidas e fornecido um panfleto contendo todas as informações sobre o curso.

Também são fornecidas informações sobre o programa das aulas referente do curso.

Antes do início de cada aula são reservados 30 minutos para a realização de uma prece e comentários sobre assuntos de questões sociais.

Para as gestantes que sentirem necessidade, é realizado atendimento psicológico individual por um profissional da área que atende gratuitamente nas dependências da instituição durante os horários das aulas. São atendidas em média seis gestantes por semana.

Após isso elas têm 40 minutos de orientação sobre nutrição ou fisioterapia.

Nas orientações sobre nutrição as gestantes recebem informações sobre a alimentação adequada para a gestação (de acordo com suas possibilidades econômicas). Degustam receitas preparadas pelas nutricionistas, utilizando o reaproveitamento de alimentos e aprendem a prepará-las. Aprendem noções de higiene no preparo dos alimentos. É realizada a pesagem de cada uma das gestantes, onde é feito um gráfico do desenvolvimento (ganho ou perda de peso) de cada gestante. Desta forma quem está com desnutrição, quadro de anemia ou apresentando diabete gestacional.

Nas orientações de fisioterapia é realizada prática de alongamento sobre colchonetes e exercícios de preparo do corpo para o parto, ensinada também a respiração correta para o trabalho de parto normal e aferida semanalmente a pressão arterial de cada gestante, antes das atividades de fisioterapia. As que estiverem com alteração da pressão arterial, recebem orientação para procurar tratamento com seu médico.

Após esta primeira parte da aula é concedido um intervalo com lanche para todas. O lanche é constituído de leite, pão, bolo, frutas, iogurte, gelatina, etc. (alternando o cardápio de acordo com instruções nutricionais).

Inicia-se em seguida a segunda parte da aula, com duração de 45 min, ministrada pela equipe de enfermagem, sobre assuntos diversos.

Nas aulas dadas pela equipe de enfermagem são utilizados recursos para melhor aprendizado como: Televisão e DVD com documentários sobre o assunto; cartazes; material de apoio fornecido pela faculdade e posto de saúde.

Na terceira parte da aula é realizado um relaxamento orientado, com música ambiente. A gestante sente os movimentos do bebê que está em seu ventre, proporcionando para a mãe e o bebê, momentos únicos e relaxantes.

Ao término das atividades do dia todas se despedem. Elas recebem vales transporte, para irem para suas casas e voltarem na próxima semana.

Quando o grupo recebe doações de roupas e calçados usados e também de leite e alimentos. E são repassadas para as gestantes antes de retornarem a seus lares.

Formas de adquirir recursos para manutenção do curso
  • Eventos como chá e jantares beneficentes e promoções;
  • Doações de amigos, empresase simpatizantes do trabalho.
Equipe de Voluntários responsáveis pelo trabalho do curso
  • Coordenadora;
  • Secretária;
  • Tesoureiro;
  • Organizadora das palestras;
  • Recepcionistas;
  • Entrevistadoras;
  • Encarregadas do Lanche;
  • Artesãs responsáveis pela confecção do enxoval;
  • Encarregada da aquisição e controle do estoque do enxoval;
  • Encarregadas da limpeza;
  • Encarregadas de separar roupas para doação;
  • Profissional da área de psicologia;
  • Professores e alunos da faculdade Unifil da área de nutrição, fisioterapia, enfermagem (Estes alunos preparam aulas, que são reconhecidas como estágio por seus professores e Reitor da faculdade), mantemos assim uma parceria de trabalho;
  • Enfermeiras do Hospital Universitário, Banco de Leite e postos de Saúde;
  • Médicos cooperados da Unimed Londrina, que ministram palestras sobre assuntos relacionados a gestação e recém nascido.